Mosquito

 

 

Mosquito, pernilongo, mosquito-prego, muruçoca, muriçoca, carapanã, carapanã-pinima, fincão, fincudo,  melga, sovela e bicuda são termos gerais para designar diversos insectos da subordem Nematocera, normalmente dando ênfase para a família Culicidae. Por constituírem vernáculos, não obedecendo às regras da nomenclatura científica, abarcam diversos táxons, como é o caso dos mosquitos-palha.

 

                                                                                                      

Regionalismos

 

 

Em várias partes do Brasil, faz-se distinção entre mosquito e pernilongo: o primeiro refere-se a pequenas moscas, como as drosófilas, enquanto que o segundo, além dessa denominação, é também referido como "muriçoca"4 . Na maioria dos estados da Região Norte do Brasil, este pernilongo chama-se "carapanã".5 . As fêmeas do pernilongo são também conhecidas como "melgas" ou "trompeteiros".

 

 

 

Etimologia

 

 

"Mosquito" vem do latim musca6 . "Pernilongo" é uma referência às longas pernas do inseto7 . "Mosquito-prego" é uma referência a sua picada que se assemelha à perfuração de um prego. "Muriçoca", "meruçoca" e "muruçoca" são oriundos do tupi muri'soka2 . "Carapanã" vem do tupi karapa'nã8 . "Carapanã-pinima" vem da junção dos termos tupis karapa'nã ("mosquito") e pi'nima ("pintado)8 . "Fincão" e "fincudo" vem de "fincar"9 e são uma referência a sua picada. "Sovela" é uma referência ao instrumento cortante homônimo utilizado pelos sapateiros e correeiros10 , numa alusão à picada dos insetos. "Perereca" vem do gerúndio do tupi pere'reg, "ir aos saltos"11 e é uma alusão ao hábito do inseto de pular de um lugar para outro para fugir de seus inimigos. "Bicuda" é uma alusão à sua picada.

 

 

 

Biologia

 

 

Como os outros membros da ordem Diptera, os mosquitos têm um par de asas e um par de halteres, que são modificações das asas posteriores usadas como órgãos de equilíbrio. Nos chamados mosquitos a probóscide (tromba) está adaptada para a sucção de líquidos como néctar, seiva ou sangue. Muitas espécies, como os Anopheles e o Aedes aegypti são vetores de parasitas, como, nestes casos e respetivamente, a malária e adengue.

 

Em geral, apresentam dimorfismo sexual acentuado: os machos apresentam antenas plumosas (como pequenas árvores de natal), e as fêmeas apresentam antenas pilosas e são muito mais corpulentas; em quase todas as espécies elas alimentam-se de sangue devertebrados (incluindo o homem) para maturar seus ovários antes de pôr os ovos.

O tamanho varia, mas é raramente maior que 15 mm. O peso dos mosquitos é apenas de 2 a 2,5 miligramas. Eles conseguem voar de 1,5 a 2,5 km/h. Os mosquitos existem há 170 milhões de anos (Jurássico médio).

Ligue já!

(11) 4978.5455 / (11) 4978.3684 (Grande SP)

(11) 9.6306.1944 (Whatsapp)

(19) 3567.0755 (Interior)

(19) 9.9856.5455 (Interior)

  • LinkedIn Social Icon
  • Facebook Social Icon
Devidamente registrada na Vigilância Sanitária